sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Anagramas Escatólogicos

Torre_de_Galata_Istambul

Torre de Névoa

Subi ao alto, à minha Torre esguia,
Feita de fumo, névoas e luar,
E pus-me, comovida, a conversar
Com os poetas mortos, todo o dia.

Contei-lhes os meus sonhos, a alegria
Dos versos que são meus, do meu sonhar,
E todos os poetas, a chorar,
Responderam-me então: “Que fantasia,

Criança doida e crente! Nós também
Tivemos ilusões, como ninguém,
E tudo nos fugiu, tudo morreu! ...”

Calaram-se os poetas, tristemente ...
E é desde então que eu choro amargamente
Na minha Torre esguia junto ao céu! ...


Florbela Espanca, "Livro de Mágoas"



Émetico

Meu vômito é mais sincero
Do que da sua ideologia afásica
O ápice da Ipeca
Foi involuntário para a rotina
Advento da vontade
Manifestação do âmago
Com Trichofagia para a estética
Anopluro no impuro obscuro
Rapunzel não queria fugir
O retor da torre
Linda era a visão panorâmica do campanário
Manterei o Minarete intacto
Mesmo com a talante ctonofagia
Análogo ao guaripé
Xuri como urim
Ruim para o Rim
Pode ser perfurado com a Acufagia
Péssimo para o Pêssego
Laxante suave com suas flores
Como Ampa em Sampa
Desregulada com seu abebra
Execrável para o Exegeta
Quer ser minha egéria?
Análise o meu vazio.


Ednei Pereira Rodrigues



Conserto a palavra com todos os sentidos em silêncio
Restauro-a
Dou-lhe um som para que ela fale por dentro
Ilumino-a

Ela é um candeeiro sobre a minha mesa
Reunida numa forma comparada à lâmpada
A um zumbido calado momentaneamente em exame

Ela não se come como as palavras inteiras
Mas devora-se a si mesma e restauro-a
A partir do vômito
Volto devagar a colocá-la na fome

Perco-a e recupero-a como o tempo da tristeza
Como um homem nadando para trás
E sou uma energia para ela

E ilumino-a

Daniel Faria, "Homens que São como Lugares Mal Situados"

Nenhum comentário: